domingo, 18 de julho de 2021

Memórias de um Ciclista - Parte 41

N esse final de semana Sábado, dia 17 julho 2021, foi dia de treino, pedal longo com a turma dos Ultraciclistas insanos daqui do Rio de Janeiro. Foi um Sábado de treino recheado com muita adrenalina.

Arraial do Cabo é um município brasileiro situado na Região dos Lagos do estado do Rio de Janeiro. Trata-se de uma cidade costeira, possuindo uma altitude média de apenas oito metros. Fundada em 1503 pelo conquistador Américo Vespúcio, foi elevada à categoria de município apenas em 1985, após sua emancipação do município vizinho de Cabo Frio. Em 2014 tinha uma população de 28.866 habitantes segundo o IBGE. As rodovias que servem o município são a RJ-140/BR-120 e a RJ-102. A cidade de Arraial do Cabo, como o nome indica é realmente um cabo, um pedaço de terra grande (superior ao pontal e ponta) adentrando ao mar, possui pequena diversidade de praias em enseadas, entre estas pode se considerar que estão algumas das praias mais belas do mundo. A cidade abriga o Porto do Forno que na verdade é uma marina de três píers por onde entram produtos para a cidade e saem as produções de sal. Ideal para a prática de vários esportes a base da economia cabista, não aproveitando-se a região para o desenvolvimento de aquacultura e maricultura.  Tendo ainda uma zona urbana bastante simples e conturbada, com construções de apenas dois andares em ruas sinuosas e estreitas. Chegar a Arraial do Cabo é bem fácil! Arraial do Cabo está localizada a 165 km do Rio de Janeiro, na Região dos Lagos, onde também estão as cidades de BúziosCabo Frio, Araruama, Saquarema, São Pedro da Aldeia e Iguaba Grande. A melhor maneira de chegar a Arraial do Cabo é por via terrestre a partir da cidade do Rio de Janeiro ou por via aérea até o Aeroporto de Cabo Frio (CFB) ou ainda o Aeroporto de Búzios (BZC). de bike, correndo, carro ou ônibus são as opções mais comuns para chegar a Arraial do Cabo. A viagem de carro tem tempo médio de 2h35, enquanto o trajeto de ônibus tem três horas a 4 horas de duração
O percurso do pedal do Rio de Janeiro até Arraial do Cabo
No sábado acordei às 3 horas da madrugada, me aprontei e às 4 horas da manhã saí de Marechal Hermes montado na minha ultramagrela indo encontrar com os amigos. O encontro com a Equipe de Ultraciclistas foi na Barca da Praça XV no centro do Rio de Janeiro às 5:30 horas da manhã. Mas antes encontrei com o amigo Daniel no bairro de Cascadura e nós dois fomos pedalando em direção à Praça XV. Chegamos lá por volta das 5:20 horas da manhã, onde já se encontrava o amigo Eduardo, pausei o GPS marcando 25 Km, como não é permitido pedalar na ponte de Niterói, a solução para os Ciclistas é atravessar de Barcas até Niterói. Depois de alguns minutos chegou o amigo Hugo.
Local de encontro Barcas da Pça XV
Pegamos às barcas das 6 horas da manhã, logo em seguida também chegaram outros ciclistas para ir pedalar em Niterói, demos bom dia a eles, eles responderam e convidamos eles para ir conosco mas quando ficaram sabendo do nosso destino, não quiseram aceitar o convite...Eles iriam pedalar poucos Kms...rsss...,Chegamos em Niterói às 6:30 horas da manhã, montamos na nossas bicicletas e rumamos pelo acostamento rumo a objetivo Arraial do Cabo.
Nas Barcas
O clima desse final de semana foi perfeito, estava fazendo uma temperatura fria o que ajudou bastante a todos no pedal, ao contrário de alguns anos atrás que eu e os amigos Casini, Marcelo e Samuel marcamos para irmos pedalando até Arraial do Cabo em que a temperatura estava bem quente chegando a 40 graus de temperatura nos fazendo parar o pedal em São Pedro da Aldeia. Falando ainda de Arraial do Cabo esse Sábado foi a minha terceira vez minha ida nessa cidade, antes tinha ido duas vezes correr lá uma prova de Ultramaratona de 66 Km e na segunda vez foi um prova de 21 Km. Fomos pedalando sem nenhum problemas pelo acostamento da via, durante todo o trajeto é o maior tobogan, nas descidas aproveitávamos para ir na toda velocidade e indo ganhando tempo. Às 9 horas da manhã completamos 100 Kms, durante uma parte do trajeto do pedal o tempo começou a ficar com neblina, torcemos para que a neblina não tampasse o visual da estrada para não termos nenhuma surpresa, continuamos pedalando. 
Rumo a Arraial do Cabo
Durante o pedal alguns carros que passávamos por nós buzinavam nos incentivamos e nós retribuíamos gritando agradecendo, mas teve um caminhoneiro que deixou para buzinar quando passou por nós que a buzina dele era tão forte que nos assustou...kkkk....Fomos pedalando passamos por São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá e Rio Bonito, quando chegamos em Rio Bonito o GPS marcava 111 Kms a turma decidiu parar no posto Graal para nós fazermos um lanche e se hidratarmos. Ficamos parados por cerca de uns 20 minutos e logo em seguida voltamos a cair na estrada pedalando.
Passamos pedalando por Araruama, Iguaba Grande, quando chegamos em São Pedro da Aldeia a turma resolveu fazer uma breve parada para fazermos um registro na placa de lá e em frente ao Caça da Marinha.
Em São Pedro da Aldeia
 Voltamos a pedalar, quando chegamos em Cabo Frio fomos pedalando com todo cuidado, pois a estrada de lá até no acostamento é cheia de buracos e muitas sujeira, mas muitos mesmo, não entendo como uma cidade turística é cheia de buracos...Lamentável...Foi tantos buracos que quando chegamos no Km 158 o inevitável aconteceu, apenas um pequeno buraco que passei sem perceber furou o meu pneu traseiro...que droga...desci da bike com tanta raiva porque faltava poucos Kms para chegar ao destino final. Como não tinha jeito eu e o amigo Hugo rapidamente trocamos a câmara furada e voltamos a pedalar quanto mais avançávamos pela estrada no acostamento pedalando em Cabo Frio ventava tanto que tivemos que reduzir a velocidade, ainda mais que já estávamos cansados, mas prosseguimos chegando no Portal de Arraial do Cabo com 169 Km comemoramos mais um desafio realizado e logo em seguida pedalamos mais 5 Kms para chegar até a rodoviária de Arraial do Cabo finalizando o pedal longo com 174 Km. Comemoramos, colocamos as nossas bikes no bagageiro do ônibus e retornamos para o Rio, mas a vontade de voltar para o Rio pedalando era enorme, só não voltamos porque iríamos pegar noite adentro e a noite na rodovia sem apoio fica perigoso demais.  
Obrigado Eduardo pelo presente adorei a moeda da Fragata União.
Eduardo, Daniel e Hugo, que final de semana espetacular que tivemos hein. Foi muito bom pedalar com vocês feras. Parabéns amigos vocês deram show. Que Deus nos abençoe nos dando muita saúde para continuarmos pedalando muito e muitos Kms...Até o próximo pedal.🚴🚴🚴🚴🇧🇷

sábado, 10 de julho de 2021

Campeões

Campeões
Por Matilde Blum
Cidade: Arthur Nogueira - SP

O que define um campeão não é o pódio, não é a medalha, não são os brindes e holofotes na cerimônia de premiação. Assim penso eu!

Campeões não nascem campeões, eles se tornam através de suas atitudes, suas habilidades, sua forma de percepção de ver a vida!

Sua dedicação, esforço e humildade!

Subir no pódio, em uma cerimônia muitos sobem. Pegam suas medalhas e são eleitos pela classificação de tal esporte, tal titulo ou tal categoria. São honrados, pois dedicaram se aos seus treinos e na competições foram os melhores.

São muitos, os que não cruzam à linha de chegada, mas dedicaram o seu melhor, enfrentaram as suas dificuldades, adversidades, esforços físicos, psicológicos e são “obrigados” ou “convidados” a se retirar. Mas não tiram o seu mérito de campeão, não perdem o brilho para levantar a cabeça e orgulhosamente retornar para a próxima largada.

Existem aqueles campeões que fizeram uma historia além de subir ao pódio, levantar a taça e dar a entrevista de “melhor do dia”. Poderia listar aqui por horas, descrever o tal feito de herói que orgulhosamente nos encheram de emoção. Como não citar o grande Senna, Pelé, minha professora Márcia, meus pais, minhas avós, uma vizinha de apelido de “Nina” emprestava folha de cheque para minha mãe fazer a compra do mês.

Como não listar o navegador/mergulhador Tailandês Saman Kunan que deu seu último sopro de vida ao retornar de um ato tão “heróico” dar a vida para salvar vidas. O treinador abdicou, em jejum, para manter os alimentos aos meninos!

Se faz da essência para a existência!

Como não listar a professora Heley, entre as chamas para salvar a vida de seus pequeninos, da Cidade de Janaúba.

Como não listar os bombeiros que descem em plena chama para retirar “a vida” entregando a sua vida.

Como não listar os jovens meninos, que vão para a guerra em nome da “Paz”.

Como não listar aqueles campeões que acordam todos os dias na maca de um hospital, em seu leito de morte. Pede a Deus por apenas mais um “dia”, mais uma noite, mais uma hora de alegria ao lado dos que tanto amam.

Nem todos os campeões cruzam a linha de chegada para retirar sua medalha, eles as carregam consigo durante todo o trajeto.

terça-feira, 6 de julho de 2021

Nota de Falecimento: Leandro Prates

Esse espaço é destinado às corridas de rua e tudo que esteja ligado ao tema. É com extremo pesar que  recebi a informação que o amigo Leandro Prates  corredor de elite de São Paulo faleceu. Segundos as informações que recebi é que o mesmo sofreu um acidente de moto. Mais uma vez o atletismo está de luto, já essa semana já foram 3 corredores.

Conheci o Leandro na seletiva de Cross Country para a Sérvia em 2013, aqui na pista de atletismo do CEFAN no Rio de Janeiro, onde o mesmo venceu a seletiva. Também ele foi Campeão de várias corridas como o Panamericano, Bícampeão Ibero Americano nos 1.500 metros e etc e etc...perdemos o grande amigo corredor de elite.
Na seletiva de Cross Country dentro do CEFAN aqui no Rio.
Mais uma vez o Blog presta uma grande homenagem a este amigo campeão que partiu. Prates você irá fazer muita falta. Uma grande perda para a família e o atletismo. Descanse em paz meu amigo e que Deus te receba de braços abertos. Deixo aqui todo meu respeito e meus sinceros sentimentos a toda sua família...Agora resta nós orarmos para que Deus conforte os corações de seus familiares nesse momento tão difícil.😭🙌

domingo, 4 de julho de 2021

Nota de Falecimento: Arilson Silva

Esse espaço é destinado às corridas de rua e tudo que esteja ligado ao tema. Recebi a informação que o amigo amigo Arilson Silva, um grande amigo Ultramaratonista que todos os conheciam como ARIMEN da Cidade de Brodowski - SP faleceu na manhã desse domingo dia 4 julho 2021. O mesmo saiu pela manhã para treinar passou mal durante o treino tendo um infarto fulminante. Ele chegou a ser socorrido mas não resistiu.

Conheci o Ari na Ultramaratona de 48 horas de Passa Quatro em Minas Gerais em 2017, um dos melhores Ultramaratonistas do Brasil, corremos juntos na Ultramaratona de 48 em Passa Quatro 2017, na Rio Ultra 24 horas 2018, nas 12 horas de Macaé em 2019 e agora há duas semanas atrás nas 24 horas de Caierias em São Paulo ele tava todo feliz porque foi convidado para correr duas provas fora do Brasil esse ano uma de 48 horas no Uruguai e outra de 48 horas na Romênia.
Ultramaratona de 48 horas em Passa Quatro - MG
Rio Ultra 24 horas 2018
Rio Ultra 24 horas 2019
O Blog presta uma grande homenagem a este grande amigo que partiu, Arimen você irá fazer muita falta. Uma grande perda para as ultramaratonas, Um grande atleta e amigo que perdemos e incentivava a todos. Descanse em paz amigo que Deus te receba de braços abertos. Deixo aqui todo meu respeito e meus sinceros sentimentos a toda sua família...Agora resta nós orarmos para que Deus conforte os corações de seus familiares nesse momento tão difícil.😭😭😭🙌

quinta-feira, 1 de julho de 2021

Relato do Corredor Gustavo Corval

Relato de um corredor de rua amador

A idéia começou a amadurecer no fim de junho de 2020, hoje completa o desafio de superação de 365 dias dando uma corridinha. Começou numa brincadeira (como não tinha corrida devido a pandemia, resolvi correr todos os dias para tentar amenizar essa falta, a quarentena me motivou).

Agradeço o incentivo dos amigos que foram determinantes, o Carlos que me desafiou (tudo culpa sua kkkkk), Mauro, que sempre me cobrava marcar em um ano quantos km, Joanes que fez a projeção da quantidade de km e eu achava impossível ( ainda bem que o App Strava nunca falhou), os bizus do Laumir com seus “segredos na alimentação”, Vidalzinho com as figurinhas, Wilian preocupado com minha saúde . Larrubia, já posso escrever uma página no seu livro. E tantos outros amigos com palavras e dicas de experiência de anos de corridas, que vamos aplicando em nossa rotina.

Muita emoção na realização de um sonho, nunca imaginei que poderia fazer esse desafio pessoal. Não teve chuva, sol, calor, frio, vento, dor de cabeça que me fizesse desanimar nem um dia. Venci a preguiça todos os dias, não é fácil, é uma luta diária. 

Cada passada, uma vitória. Sempre foi só corrida, nunca foi performance. Acreditar sempre. Só quero energia boa. Devagar e Sempre. Não existe corrida ruim, você que não soube aproveitar direito. O treino jamais pode parar. Minha terapia, minha vida. A saúde agradece. Desistir jamais. Corro para comer. Frases minhas e dos amigos que me ajudam muito na autoestima.

Agradeço à Deus pela saúde em um ano, sem isso seria impossível. Agradeço o apoio da família (Michela meu braço direito, sempre me orientando, Ítalo sempre falando no fim de semana “foi dar uma corridinha né”), meus pais sempre ajudando, dos parentes, dos amigos e colegas nos mais variados grupos de corridas que participo que me acompanham e torcem por mim. Um carinho especial as equipes que sempre incentivam as pessoas para ter uma vida saudável Big Field Run, do amigo Alan, a Turma da Paz dos amigos  Carlos, Hugo e Dani, Team Elementary do amigo Rodolfo, Caroli Runners do amigo Caroli, Zebra Runners do amigo André.

Nunca me faltou a disposição, a disciplina, a persistência e o foco no objetivo. Com muita paciência e respeitando sempre os sinais do corpo, chego bem a mais um desafio realizado. Foram 4 pares de tênis, nenhum dia foi menos que 10km. “O caminho do sucesso está sempre em construção”.

E foram 12 meses correndo todos os dias religiosamente. Sou muito Grato. Sou campeão todos os dias, depois de uma corrida, Eu me sinto vitorioso, subindo sempre o degrau mais alto, isso ninguém pode tirar de mim, essa vontade e vibração de vencer os desafios da corrida. Cada dia um pouquinho e no fim de uma temporada, olho para trás e vejo quantos km deixei para trás e me sinto muito feliz.

Tudo posso naquele que me fortalece. Temos todo o tempo do mundo. Precisamos acreditar que a mudança de hábitos depende de nós mesmos, todos tem a capacidade de fazer uma atividade física que será muito importante para a Saúde. Tudo na vida é uma evolução gradativa, o desempenho vamos conquistar com o tempo, com paciência. Faço por vocês!!!! Os Pirata!
JULHO
351,44 km
AGOSTO
356,91 km
SETEMBRO
358,07 km
OUTUBRO
402,34 km
NOVEMBRO
372,01 km
DEZEMBRO
524,17 km 
JANEIRO
422,25 km
FEVEREIRO
403,05 km
MARÇO
473,00 km
ABRIL
505,21 km
MAIO
532,00 km
JUNHO
537,00 km
TOTAL
5.237,45 km

Média de 14,34 km por dia em um ano.

Fiquem na Paz e que Deus nos abençoe.

Um forte abraço do amigo, Gustavo Corval

terça-feira, 22 de junho de 2021

Competição nº 488 - 4ª edição da Ultramaratona de 24 horas de Caieiras

Distância: 181 Km e 545 metros;
Tempo: 24 horas;
Local: Ecoparque de Caieiras - São Paulo;
Colocação geral: 2°; e
Total de Corredores: 72 corredores.
Nesse final de semana, sábado e domingo, dias 19 e 20 junho 2021, a cidade de Caieiras em São Paulo sediou dentro do Ecoparque à 4ª edição da Ultramaratona de 24 horas de Caieiras, à prova teve às seguintes distâncias: 24 horas modalidade geral, 24 horas modalidade índice, 12 horas, 100 Km modalidade índice e 50 Km, participaram vários competidores de vários estados do Brasil essa prova foi realizada pela REVEZA RACING.

Caieiras é um município localizado na Região Metropolitana de São Paulo. Os habitantes se chamam Caierenses. Cidade conhecida como a terra do CAL pelos seus grandes fornos de cal. Caieiras surgiu em 1890, quando o coronel Antônio Proost Rodovalho adquiriu nessas terras a fazenda Manguinho, onde se concluía a montagem de uma fábrica de papel. Até 1930, a cidade era constituída pela companhia Melhoramentos de São Paulo - Indústrias de papel, á qual não pertencia apenas a ferrovia, de propriedade da Estrada de Ferro Inglesa. Os fornos de cal, utilizados para o branqueamento de celulose, denominados Macalé, deram origem ao nome Caieiras. O município se estende por 96,7 km² e conta com mais de 100 mil. A densidade demográfica é de 1 049,3 habitantes por km² no território do município. Vizinho dos municípios de Francisco Morato, Osasco e Mairiporã.


Essa ultramaratona era para ser realizada no mês de fevereiro passado, mas devido a pandemia que estamos passando foi realizada agora nesse final de semana. Dessa vez fui com o amigo treinador Carlos Zuma e o amigo massoterapeuta Santana (Bola Sete). O Zuma planejou muito bem a logística dessa prova para que nada desse errado, aproveitamos a promoção da empresa de ônibus WEMOBI que vem fazendo para os seus usuários com as passagens mais baratas (R$ 42 reais). Saímos quinta-feira do Rio dia 18 junho às 22:40 horas do Shopping UPTDOW da Barra da Tijuca rumo a rodoviária de Barra Funda em São Paulo, chegamos em Barra Funda às 5 horas da manhã de Sexta-feira fazendo um pouco de frio, como a rodoviária de São Paulo é integrada com os trens e metrôs nem precisamos sair da Rodoviárias para fazer o translado, embarcamos no trem e fomos para Caieiras. Chegamos em Caieiras às 5:52h horas da manhã fazendo aquele frio, pegamos um UBER e às 6 horas da manhã chegamos no hotel. Durante o dia procuramos descansar o máximo possível.

Embarcando para São Paulo

Chegando em Caieiras

Almoçando em Caieiras

Por volta das 18:40 horas da noite chegamos no Centro Esportivo Municipal Carlos Ferracini de Caieiras, pegamos o Kit, participamos do Congresso Técnico onde foram abordados vários assuntos sobre a Ultramaratona e assim que terminou o Congresso fomos jantarmos na Padaria Portugal próximo do local de onde foi o Congresso Técnico. Jantamos e logo em seguida fomos descansar, mas antes de cair na cama fiz um checkup de todo material na mochila para ver se estava tudo certinho. Acordamos às 6 horas da manhã de Sãbado, tomamos café e às 7 horas da manhã fomos para o ECOPARQUE (local do evento), nos aprontamos e a cada minuto que passava a expectativa era grande demais...kkk

Kit e Congresso Técnico da prova

Jantando em Caieras

No domingo de manhã a temperatura estava boa para correr fazendo aquele friozinho, mas preferia que esquentasse porque acho melhor. Peguei o meu MP3 para ligar, mas o danado não queira ligar, putz, tentei ligar várias vezes mas mesmo assim não quis dar o braço a torcer, já que não tinha jeito guardei na mochila, fui no banheiro rapidamente e tudo pronto a equipe registrou uma foto e fui para à largada. Às 8 horas da manhã foi dada à largada. A estratégia era concluir essa ultra acima de 200 Kms, não larguei forte porque não queria quebrar mais à frente, nas primeiras horas da prova o pace por Km estava dando entre 5:30 à 5:40 min por km, depois de algumas horas o sol até saiu, mas as nuvens não deixou, durante o dia chegou até chover leve. Às horas foram se passando, cada atleta correndo em busca de superar seus limites nessa prova, depois de umas 5 horas correndo com mais de 50 Km percorridos, comecei a sentir debaixo do pé direito uma dor, putzzz que droga, diminui o pace e fui rapidamente na minha equipe para o Bola fazer uma massagem no meu pé que aliviou a dor, levantei troquei de tênis e voltei o mais rápido possível para a prova caminhando, depois de uns minutos caminhando retornei a correr trotando a dor tinha desaparecido, graças à Deus, continuei correndo, à tarde o sol reapareceu novamente o que ajudou espantar um pouco do frio, à noite a dor no pé retornou, tive que fazer nova parada, o Bola fez massagem novamente e dessa vez enfaixou a parte da frente do meu pé com uma bandagem o que ajudou bastante minimizando os impactos no pé, retornei para a pista para correr, já a noite estava frio e a chuva ia e vinha, devido ter feito as paradas para massagem nos pés de segundo colocado geral na prova, acabei ficando em quarto colocado geral, mas não desanimei, mesmo sentido dores nos pés, fui no sacrifício correndo e tentando buscar novas posições, não lembro bem a quilometragem que eu estava, mas no período noturno consegui ultrapassar o terceiro colocado e de madrugada ultrapassei o segundo colocado, tentei buscar a primeira posição, mas o primeiro estava a mais de 20 voltas na minha frente.

Equipe Passaporte Running a melhor equipe 

(Jones, Eu, Zuma, Bola, Caio, Silvia, Cléber, Edy e Lenilson)

Durante o dia

Durante a madrugada

Jones, Zuma e Santana...Obrigado, Caio faltou você na foto

Faltando 2 horas para terminar a prova, todos cansados, mesmo assim todos iam correndo e fazendo o seu  melhor e torcendo para que desse logo 8 horas da manhã para terminar a prova...rsss....Faltando alguns minutos para na terminar a prova vi que dava tempo para ainda dar correr duas voltas dentro do ECOPARQUE, mesmo muito cansado, e com dor no corpo todo, não sei de onde tirei forças que corri muito forte, consegui fechar mais uma volta. O Mariano na locução da prova, nos informando olha falta tantos minutos, agora só falta 3 minutos para finalizar a prova se vocês forem fazer a última volta e não chegar no tapete de cronometragem a última volta não será computada, mesmo assim acreditei e saí em disparada e fui fazer a última volta correndo muito forte, cruzei a linha de chegada com o pace de 3 minutos e 35 segundos, finalizando a prova de 24 horas em 2º colocado geral na prova, agradecendo muito à Deus pela superação, olhei no GPS marcando 186,7 Km feliz da vida. Mas depois vi na cronometragem da prova que fiz um total de 245 voltas x 741 metros totalizando 181 Km e 545 metros, acredito que esses 5 Kms a mais que deu no GPS deve ter sido as idas ao banheiro. Mesmo não conseguindo o objetivo correr acima dos 200 Km, fiquei feliz por ter terminado mais uma prova longa.

Prova finalizada...Ufaaa...Obrigado meu Deus!!!

Muito bom estar no pódio

Obrigado Mariano, Analu e Mônica

Parque lindo

Pietro e sua mãe...Muito obrigado pelo apoio, recepção e almoço

Avaliação da Prova:
Inscrição: As inscrições foram abertas pelo site: www.inscricoesxtreme.com.br de acordo com as datas dos lotes o preço variou de R$ 250 a 460 reais (Eu paguei 350 reais, pela estrutura que a organização nos forneceu achei barato)...Ponto positivo;
Kit: 1 bolsa porta tênis, 1 camisa de manga, 2 números de peito, 8 alfinetes, 2 chips descartáveis, 1 par de chinelo, 1 pulseira de identificação para entrada no local do evento e 1 livro...Ponto positivo
Guarda volumes: A organização disponibilizou um local para quem quisesse guardar os seus pertences, mas muitos como eu, preferimos deixar nossas coisas na barracas de nosso apoio...Ponto positivo;
Altimetria da prova: Leve...Ponto positivo;
Percurso da prova: O percurso seria na pista de atletismo, mas como a chuva de início desse ano derrubou uma parte da pista e ainda não foi consertada a prova foi transferida para o ECOPARQUE, um parque lindo, com a volta de 741 metros e com o piso de blocos de cimentos, porém esse piso do parque não é apropriado para uma prova longa como essa, piso muito duro que fez com que alguns atletas saísse da prova por causa de dores no joelho e pés, faço votos para que a Prefeitura local conserte logo a pista de atletismo e ano que vem a prova retorne...Ponto negativo;
Posto de hidratação: Excelente...A organização disponibilizou no local da prova para os atletas um posto de hidratação com água em copos abertos gelados, isotônicos, coca-cola, café e bebida energética...Ponto positivo;
Alimentação da prova: Excelente...A organização disponibilizou no local da prova para os atletas várias frutas (bananas, maçãs e melancias), no almoço serviu macarrão com carne moída em potes, biscoitos (doces e salgados), à tarde foi servido variados tipos de salgados, no jantar foi servido purê de batatas em potes, sopa, paçocas, chocolates, azeitonas, nuts, uva passa e bolos...Também dentro do ECOPARQUE existem alguns quiosques que foram abertos para que os corredores ou apoiadores comprassem outros tipos de alimentos ou hidratação...Sugiro que na próxima edição seja servido para os corredores laranja ou tangerina...Ponto positivo;
Posto médico: A organização disponibilizou uma ambulância com uma equipe médica no local durante toda a prova...Ponto positivo;
Banheiros: No local do evento existe 4 banheiros (2 femininos e 2 masculinos), dois em cada extremidade do ECOPARQUE...Sugiro que na próxima edição além do álcool disponibilizado para higienização das mãos, tenha também sabão líquido para os atletas lavarem suas mãos após fazerem suas necessidades.....Ponto positivo;
Medalha de participação: Todos os corredores que cruzaram a linha de chegada de forma legal receberam uma linda medalha redonda de metal, na frente vindo o desenho de dois corredores, o nome da prova, o mapa do Brasil, atrás da medalha nada escrito ou desenhado e vindo com uma fita personalizada com o nome e distâncias da prova...Ponto positivo;
Premiação da prova: A organização premiou os 5° primeiros colocados no geral masculino/feminino das seguintes provas de 24 horas, 12 horas, 100 Km e 50 Km com troféus de madeira, na frente vindo o desenho de dois corredores, o nome da prova e o mapa do Brasil, atrás do troféu nada escrito ou desenhado e na base do troféu uma etiqueta com a colocação em que o Corredor conquistou...Ponto positivo;
Premiação das Faixas etárias: A organização só premiou com troféus os atletas das seguintes modalidades: 24 horas geral, 12 horas, 100 Km e 50 Km premiando os atletas nas suas seguintes faixas etárias...Ponto positivo;
Resultado da prova: A prova foi cronometrada pela www.cronoserv.com.br onde durante às 24 horas divulgava às parciais de 1 em 1 hora para todos os corredores e também foi divulgado no site...A prova mesmo sendo cronometrada por chip, também teve os Árbitros da Federação Paulista de Atletismo anotando as nossa voltas durante 24 horas e não teve nenhum erro na cronometragem...Sugiro que  na próxima edição em vez de ter chips nos dois pés, que use o sistema de chip colado nos números como são feitos em várias provas, pois chips colocados nos tênis perde-se muito tempo quando o corredor vai trocar de tênis e também o corredor tem que tomar muito cuidado para não amassar o chip...Ponto positivo;
Prova: A prova foi organizada pela Reveza Racing (Analu Shiota e Mariano Moraes) à prova está na sua 4ª edição, a prova recebeu os melhores Ultramaratonistas de vários estados do Brasil e inclusive vários atletas que já correram várias ultras nacionais e internacionais conquistando vários títulos, a prova já está consolidada no calendário de provas do país. Parabenizo e agradeço a Analu e Mariano pela brilhante realização do evento, pela atenção e pelo apoio dado a todos nós atletas, uma prova que vale a pena correr e recomendo, porém tem que voltar para a Pista de Atletismo. A cidade de Caieiras é um lugar cheio de histórias, que tem um verde maravilhoso, tendo alguns lugares históricos para visitar como por exemplo o Mirante do Cristo entre outros locais que recomendo; e
Agradecimentos: À Deus, ao Técnico Carlos Zuma pelo apoio e logística total nessa prova, ao Santana (Bola 7) pelas massagens quando precisei durante a prova, aos amigos Caio Eduardo e Jones Castro de São Paulo que ficaram durante 24 horas nos apoiando lá na prova e ao Pietro e sua mãe que nos recepcionou em sua casa pós a prova para um belo almoço...Muito obrigado amigos!!!

Independente do resultado, parabenizo a todos os Corredores que estiveram correndo nessa prova. Nos vemos na próxima linha de largada. 
🏃🏾‍♂️💨🇧🇷